fbpx
Personal Organizer
mar 2019
Qual papel você quer ter na vida do seu cliente? Apenas organizar seu armário ou fazer a diferença na vida dele?

Em 2008, eu estava numa das conferências da NAPO e logo na palestra de abertura do evento, foi onde eu comecei a tomar consciência sobre qual deveria ser o verdadeiro papel de uma Personal Organizer na vida de um cliente.

A palestra foi com o Peter Walsh, um dos mais respeitados especialistas em organização nos USA, com vários livros escritos e programas de TV.

Ele iniciou contando a história de Claire, uma moça que enviou a ele um e-mail falando mais ou menos o seguinte:

Querido Peter, eu não sei quando ou se você vai receber isso, mas eu quero dizer-lhe: Obrigado por salvar minha vida. Dois anos atrás eu passei por um problema atrás do outro, eu vi meu pai morrendo aqui em nossa casa, minha cunhada contraiu uma séria doença, nossa casa foi devastada por um tornado, minha sogra teve uma cirurgia do coração e veio para nossa casa para se recuperar e inesperadamente morreu aqui, assim, até esse momento, eu estou pronta para desistir, deitar-me e morrer.

Durante todo esse período, as coisas em minha casa ficaram fora de controle, primeiro tudo em espalhado pelo chão, depois em cima das mesas e depois todas as salas (primeiro as coisas que estavam em cima de móveis altos – onde as pessoas não podiam ver – depois a bagunça foi descendo para os móveis mais baixos e por último, a bagunça se espalhou por toda a casa e perdeu-se o controle).

Por volta de três meses atrás eu estava em casa sozinha, no quarto que era do meu pai e ali eu fiquei olhando a arma que era dele, enquanto eu olhava ao redor daquele quarto, umas coisas velhas que estavam lá, eu comecei a pensar: “Quão fácil seria pegar aquela arma, carregá-la e puxar o gatilho. Minha TV estava ligada nos fundos e tinha um programa com você, que ajudava uma família a se tornar organizada.

As coisas que você disse àquela família me ajudaram a voltar ao mundo dos vivos. Eu decidi limpar completamente o quarto que era do meu pai. Eu mantive algumas coisas comigo, as quais significam muito para mim, incluindo a bandeira que cobriu o caixão dele, porém todo o resto eu estava preparada para “jogar fora”. Levou algum tempo mas eu fui capaz de me livrar daquilo.

Eu costumava ser uma pessoa que amava vida e amava viver. Eu espero ser capaz de te dizer que eu serei aquela pessoa novamente algum dia. Eu verdadeiramente te agradeço pelas suas palavras que me tocaram e salvaram minha vida.”

Baseado nesse depoimento que o Peter Walsh contou da sua cliente é que eu gostaria de desenvolver o tema deste artigo (talvez alguns de vocês já tenham recebido depoimentos parecidos, não tão desesperados, mas semelhantes).

Pense nisso: Qual é a nossa visão? O que nos faz querer ser um Personal Organizer e trabalhar ajudando as pessoas a se organizar? É simplesmente a visão para onde estamos indo? É a visão do que temos para nós mesmos? É apenas a visão que temos para nossos clientes? É uma visão maior do que isso? É a visão de apenas arrumar o armário? É a de apenas obter reconhecimento ou a de fazer as pessoas felizes? É o quanto vamos ganhar? É porque precisamos de algo para preencher nosso tempo ou mesmo as nossas vidas? Será que é porque é algo que nós realmente acreditamos ou damos valor?

É a visão que de alguma forma pode mudar ou transformar não somente pessoas ou comunidades, mas até mesmo o mundo?

Afinal, qual é essa visão?

É importante que cada um procure essa resposta, pois assim terá condições de prestar serviços mais relevantes a seus clientes e também se tornar mais realizada em sua profissão.

Vamos imaginar uma situação comum. Por exemplo, você é chamada para atender uma cliente que está precisando organizar uma bagunça insana em seu home office. Logo de cara você descobre que existem 15 grampeadores espalhados por todo o canto. Aí então você resolve arrumar uma caixa bacana e organizar os 15 grampeadores ali dentro. Quando a cliente vê isso, ao contrário do que você gostaria, ela fica muito brava, e diz: Mas o que é isso? Eu não quero uma caixa para meus grampeadores, quero a minha vida de volta!

Nesse momento houve uma desconexão entre a sua expectativa e a da cliente, entre a sua visão e a da cliente. Ela queria muito mais do que ter seus grampeadores organizados. Ela queria que alguém a ajudasse a se livrar dos grampeadores e mostrasse talvez como se organizar para que isso não voltasse a ocorrer.

A questão que levanto é: se você não tiver clara a sua visão, o que espera da sua profissão de Personal Organizer e pra onde você vai, como pode querer ajudar seu cliente a chegar em algum lugar?

Eu entendo que o papel do organizador não é apenas conseguir uma caixa bonita para colocar os 15 grampeadores, mas sim o de encontrar soluções que transformem realmente o ambiente e a vida daquele cliente para melhor?

Nossa linha de atuação deve cada vez mais se basear num desejo legítimo e honesto de fazer com que as pessoas tenham uma vida melhor. Devemos dizer coisas como:

“Você merece estar num ambiente limpo e organizado e eu estou aqui para te ajudar a conseguir isso, fique tranquilo”

“Calma, isso é mais comum do que você imagina e eu estou aqui para te ajudar. Vamos deixar tudo isso mais bonito e organizado”

“Eu, como Personal Organizer me sinto realmente bem por poder estar aqui te ajudando e terei o máximo prazer em fazer isso”

O mundo está em constante mutação, novos pensamentos surgem a cada dia, novas demandas e novos problemas exigem novas habilidades, e pessoas preparadas para encontrar novas soluções.

Nós podemos escolher entre ser comandados e seguir deixando a vida nos levar ou podemos tomar a frente e fazer acontecer.

A doença da vaca louca, a bactéria assassina e incontrolável, a economia que está ruim e coloca em risco nossos negócios, as abelhas assassinas e sei lá mais o que. São medos que a sociedade moderna nos impõe o tempo todo. Se tudo o que escutamos por aí fosse verdade, estaríamos todos mortos.

Vamos considerar que muitos de nossos clientes estão assustados, eles possuem muitos medos e tudo o que querem é um pouco mais de controle em suas vidas. E sabe quem pode ajuda-los a ter mais controle? Adivinha!

Devolver a uma pessoa o controle do armário, da cozinha, da garagem, do seu espaço ou mesmo do seu tempo, tem um forte impacto em suas vidas. É aqui que a Personal Organizer assume um papel muito mais nobre do que apenas organizar as coisas em caixas bacanas.

É nosso papel também mostrar às pessoas porque organizar é importante. A palavra “orgânico” e “organizar” vem da mesma raiz. Ser orgânico, ser humano, ser completo. Quando algo não é orgânico ou não é organizado, não há vida nisso. É isso que nós fazemos, trazemos vida de volta aos lugares, possibilitamos que as pessoas possam respirar em seus espaços, oferecemos mais qualidade de vida, mais produtividade.

Segundo uma frase do Peter Walsh “Quando nós mudamos o indivíduo, nós mudamos a sala e quando nós mudamos a sala, nós mudamos a casa e quando nós mudamos a casa, nós mudamos a família e quando nós mudamos a família, mudamos uma comunidade e quando nós mudamos uma comunidade, nós mudamos o mundo

Eu acredito nisso, e você?

José Luiz Cunha